Janeiro Branco: a vida pede equilíbrio - Blog - Austa Hospital

16/01/2023

Janeiro Branco: a vida pede equilíbrio

Janeiro é o mês que inspira recomeços, reflexões e, simbolicamente, representa o início de um ciclo em que podemos projetar desejos, sonhos e inspirar mudanças Por isso, desde 2014, o mês foi escolhido para o movimento “Janeiro Branco”, que tem como objetivo chamar a atenção das instituições, autoridades e população em geral para as necessidades relacionadas à Saúde Mental.

A campanha foi idealizada pelo psicólogo, palestrante e escritor mineiro Leonardo Abrahão, e se consolidou quando psicólogos de Uberlândia se uniram para falar sobre o assunto, na mídia e em espaços públicos.

O contexto de pandemia causado pela COVID-19 trouxe sérias consequências para a saúde mental das pessoas. Em estudos realizados pela FIOCRUZ e outras seis universidades nacionais, 40% da população brasileira apresentava sentimentos frequentes de tristeza e nervosismo, enquanto 50% apresentavam sentimentos de ansiedade e nervosismo.

Então, diante de mudanças cada vez mais aceleradas e desafiadoras, que exigem novas atitudes, habilidades, entendimentos e comportamentos, o tema do Janeiro Branco 2023 foi definido: “A Vida Pede Equilíbrio”.

É essencial reforçar que, apesar do nome da campanha, a preocupação com a saúde mental deve ser observada diariamente. Crie bons hábitos, como falar sobre seus sentimentos e aprimorar sua resiliência; mantenha-se ativo; evite o isolamento; faça pausas; saiba pedir ajuda; estabeleça limites entre trabalho e casa e, claro, não tenha vergonha de se consultar com um profissional especializado.

Confira cinco dicas para equilibrar a vida:

  • Reconheça e acolha suas potencialidades e fragilidades.
  • Gaste mais tempo vivendo situações que lhe trazem alegria, entusiasmo, felicidade, paz de espírito, sentidos de integração e sentimentos de que as coisas estão em seu devido lugar.
  • Aprenda a viver com o fato de que a vida alterna momentos de alegria, dor, euforia, tédio, sucesso e fracasso.
  • Pratique o silêncio, a quietude e o descanso.
  • Defenda a justiça social, respeite direitos e trabalhe pela construção de políticas públicas dedicadas à Saúde Mental.

Fontes:

Site Janeiro Branco

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)

CVV

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter

19 de fevereiro

A primeira semana de fevereiro foi marcada pela “Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência”

No Brasil, de 1º a 8 de fevereiro é a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, instituída pelo Estado, médicos e entidades para chamar a atenção de uma questão social e de saúde relevante. No Brasil, um em cada sete bebês é filho de mãe adolescente. A cada hora nascem 48 bebês, filhos de mães adolescentes, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria. Além dos empecilhos sociais pelos quais passa a jovem gestante, existem também riscos à sua saúde e à do bebê, como a pré-eclâmpsia e a eclampsia, ressalta o ginecologista e obstetra Ricardo Garcia, do corpo clínico do Austa Hospital, de Rio Preto. “Quando a gravidez acontece na adolescência, existem chances maiores de prematuridade e baixo peso no nascimento. A taxa de mortalidade entre filhos de mães muito jovens é bastante alta”, afirma o médico. A taxa mundial de gravidez adolescente é estimada em 46 nascimentos para cada 1 mil meninas de 15 a 19 anos, segundo dados da ONU. Já no Brasil, em cada 1.000 partos, 68 são de adolescentes, ou seja, um número 48% maior do que a média do mundo. O último levantamento do Ministério da Saúde revela que, em 2020, cerca de 380 mil partos foram de mães com até 19 anos, o que corresponde a 14% de todos os nascimentos no Brasil. A gestação não planejada na adolescência pode resultar da falta de conhecimento da adolescente sobre sua saúde, sobre as consequências na sua vida, bem como ao acesso limitado aos métodos contraceptivos eficazes. Das gravidezes que ocorrem na adolescência, 66% são não intencionais, o que significa que a cada 10 adolescentes que engravidam, 7 referem ter sido “sem querer”. Segundo Dr. Ricardo, é fundamental que a adolescente tenha acesso e acompanhamento ginecologista. “Normalmente, já na primeira consulta, o médico acolhe a paciente, conhece a sua história, avalia sua saúde e fornece informações sobre os cuidados relacionados à vida sexual”, afirma. O ginecologista é o profissional qualificado para orientar a paciente sobre os diferentes métodos contraceptivos eficazes adotados atualmente, tais como preservativo (“camisinha”), pílula anticoncepcional, implantes (DIU hormonal, de cobre e implante subcutâneo), pílula do dia seguinte e métodos naturais, como a tabelinha. “A camisinha, por exemplo, além de ser o método mais comum, é uma das melhores formas de prevenção, pois pode ser adquirida gratuitamente em postos de saúde, possui eficácia de quase 100% e também previne contra doenças sexualmente transmissíveis”, pontua o ginecologista do Austa Hospital. Segundo o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), das 7,3 milhões de meninas e jovens grávidas no mundo, 2 milhões tem menos de 14 anos. Essas jovens apresentam várias consequências na saúde, educação, emprego, nos seus direitos e na autonomia na fase adulta ao terem filhos tão cedo. As taxas de morbimortalidade são elevadas e chegam a 70 mil mortes de adolescentes por problemas na gravidez ou no parto. Entre as causas de maternidade precoce estão os elevados índices de casamentos infantis, organizados pelas próprias famílias, a extrema pobreza, violência sexual e falta de acesso aos métodos anticoncepcionais. Adolescentes mães tendem a abandonar os estudos para criarem seus filhos, e têm três vezes menos oportunidades de conseguirem um diploma universitário, segundo o relatório do UNFPA e ganham em média 24% a menos do que mulheres da mesma idade sem filhos, segundo o mesmo estudo.

04 de dezembro

Receitas leves para a ceia de Natal

A época do Natal é sinônimo de união e harmonia, mas também é uma comemoração conhecida por sua variedade de comidas e receitas especiais, principalmente na hora da ceia. Então, se você deseja comer doces mais leves na ceia, conheça algumas sobremesas que podem ajudar nisso: Pudim fácil 3 ingredientes Ingredientes: 1 lata de leite condensado 1 lata de leite (mesma medida do leite condensado) 4 ovos Modo de preparo: Calda Misture 1 xícara de açúcar com 1 xícara de água. Leve ao fogo mexendo sempre até levantar fervura. Observar até que fique com uma textura de melaço e a cor bem dourada. Pudim Bata bem todos os ingredientes. Despeje a mistura na forma untada com a calda e coloque a forma em banho-maria para assar no forno. Deixe em temperatura média de 180º C a 240º C, até que a espuma da mistura esteja bem dourada. Espere esfriar e desgrude das laterais da forma (também ao redor do furo da forma) Com o auxílio de uma faca desenforme. Rabanada assada Ingrediente: 20 fatias de pão amanhecido 1 lata de leite condensado 1 colher de essência de baunilha 3 ovos Leite 1 xícara de água filtrada 1 colher de canela em pó 100 g de açúcar Papel manteiga Margarina Modo de preparo: Em uma bacia coloque um pouco mais de 1/2 lata de leite condensado, pois o resto será para regar as rabanadas após assadas. Coloque a xicara de água e a colher de essência de baunilha, misture bem. Quebre 3 ovos (com a clara e a gema) e bata junto a mistura com o leite condensado e misture mais. Corte 20 faias de pão amanhecido. Em uma forma passe a manteiga no fundo e coloque o papel manteiga por cima, fazendo com que o papel manteiga fique ''colado'' na forma, passe mais manteiga em cima. Molhe fatia por fatia, primeiro no leite, depois na mistura com o ovo e coloque uma de cada vez na travessa. Se você quiser, se sobrar a mistura com o ovo, pode por em cima das rabanadas, mas pouco. Coloque a travessa no forno pré-aquecido à 180°, espere entre 20 a 30 minutos, ou até dourar a rabanada. Depois, ainda quentes, jogue açúcar com canela por cima e o resto do leite condensado. Banoffee Ingredientes: Massa 200 g de bolacha tipo Maria 100 g de margarina sem sal 100 g de amendoim triturado Recheio 800 g de doce de leite 8 bananas grandes 800 g de nata gelada 2 colheres de açúcar Modo de Preparo Coloque a bolacha e o amendoim triturado em um liquidificador; Coloque a farinha feita no liquidificador em uma vasilha de vidro; Vá adicionando margarina derretida na farinha para formar a massa; Mexa bem a massa, até dar o ponto; Em uma forma, coloque a massa e enforme; Leve a forma ao forno e deixe em média 10 minutos; Acrescente o doce de leite, bem espalhado, na forma; Coloque fatias de banana na massa; Bata a nata com duas colheres de açúcar em uma batedeira; Recheie o restante da torta com o creme de nata; Você pode adicionar canela a gosto em cima da torta; Leve à geladeira e deixe 20 minutos. Mousse de maracujá light e super fácil Ingredientes: 1 lata de leite condensado light 2 caixinhas de creme de leite light A mesma medida da lata, de suco de maracujá, natural ou concentrado Modo de preparo: Bata tudo no liquidificador; Coloque em uma travessa ou em potes individuais; Leve à geladeira para gelar.

14 de setembro

Conheçam os novos diretores médicos do Austa Hospital e Austa Clínicas

Austa Clínicas  O Dr. Robinson Parpinelli assume a função de Diretor Médico da Austa Clínicas. Formado em Medicina pela UFPE, Cirurgião Geral e do Aparelho Digestivo, Fellow of Surgery da Baylor College of Medicine (Houston (TX)– USA), Médico do Trabalho pela Universidade São Camilo, Mestre em Administração de Sistemas Complexos de Saúde. Atuou como Diretor Médico Administrativo da Clínica Santa Helena, Superintendente Unimed Brasília, HEAD Custos Central Nacional Unimed, Subsecretário de Assistência Integral à Saúde da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Possui mais de 25 anos de atuação em funções de gestão de sistemas de saúde, incluindo hospitais, cooperativas médicas, operadoras e área pública. Austa Hospital O Dr. Ronaldo Gonçalves assume a função de Diretor Médico do Austa Hospital. Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM), com especialização em Clínica Médica e Nefrologia, além de Mestrado e Doutorado em Ciências da Saúde pela mesma Universidade. No ensino tem 17 anos de experiência como professor nos cursos de graduação em Medicina e outros cursos da área da saúde. Na pesquisa atuou nas Ciências básicas ligadas à Fisiologia, além de estudos clínicos fases 3 e 4 de medicações. Como médico tem experiência em medicina intensiva, atendimento ambulatorial e enfermaria, atuando nos Hospitais São Luiz Morumbi, Hospital São Paulo, Hospital do Rim e Hipertensão em São Paulo, Hospital de Base de São José do Rio Preto e responsável pela Enfermaria COVID do Austa Hospital durante a pandemia. Possui 10 anos de vivência junto ao Austa Hospital e 5 anos de experiência na Coordenação Médica da Unidade de Saúde Integrada da Austa Clínicas. Desejamos sucesso ao Dr. Robinson Parpinelli e ao Dr. Ronaldo Gonçalves nesse novo desafio!

03 de março

Mês das Mulheres: protagonismo, inspiração e igualdade

Demos entrada no mês de março, considerado o mês das mulheres. Por isso, é tempo de celebrar o avanço das mulheres na sociedade, na política e na economia, bem como incentivar a representatividade feminina nos diferentes espaços. Nós, do Grupo Austa Hospital, somos formados por um time majoritariamente feminino, e temos orgulho disso. Porque cada uma das nossas colaboradoras é protagonista de sua história, com os seus papéis, objetivos e sonhos. Todas elas saem, diariamente, de seus lares para se dedicar ao atendimento dos nossos clientes. Com elas, todos da equipe Austa Hospital alcançam o propósito que têm em comum: o cuidado com a saúde de quem passa pelas nossas unidades. Por que falar sobre essa representatividade? As razões são muitas. A começar pela importância do protagonismo feminino na luta por um mundo mais igualitário, em que todos os sonhos e objetivos são possíveis para as mulheres, ao combatermos o preconceito, a discriminação de gênero, o comportamento violento do machismo enraizado na nossa cultura, a jornada dupla de trabalho e muito mais. Portanto, queremos incentivar, cada vez mais, as discussões sobre os direitos das mulheres. Sem tabus e com muito conhecimento científico e social, precisamos abordar a saúde das mulheres, compreendendo o contexto em que elas estão inseridas. Devemos falar sobre violência, métodos de contracepção, aborto, racismo e exaustão física e mental ao desempenhar diversas funções dentro e fora de suas casas. E, além de falar sobre esses temas, é nossa responsabilidade, como membros da sociedade, garantir que as mulheres estejam seguras de seus direitos e livres para aproveitar as mesmas oportunidades que são apresentadas aos homens. Para a ONU, a celebração do Dia Internacional das Mulheres, em 2023, tem como tema “Por um mundo digital inclusivo: inovação e tecnologia para a igualdade de gênero”. Tal tema reconhece e celebra as mulheres que defendem o avanço da tecnologia e da educação digital, não só incentivando sua representatividade no universo da tecnologia, como também repreendendo as violências de gênero que podem sofrer no meio virtual. A essa escolha de tema, soma-se a necessidade de usar os meios digitais para denunciar violências, discriminações e censuras, enquanto se promovem conteúdos informativos sobre os direitos das mulheres, os canais de acesso às ajudas superiores, os pontos de apoio psicológico e o conhecimento científico sobre a saúde de seus corpos. Pensando nisso, nós, do Grupo Austa Hospital, usaremos nosso espaço nos meios digitais para exaltar as mulheres que protagonizam nossa história. Vamos contar a trajetória e a rotina das colaboradoras que não só inspiram outras mulheres a correrem atrás de seus objetivos, como também inspiram o mundo todo a ser um lugar melhor. Além de exaltá-las, vamos divulgar informações e contatos que auxiliam as suas vidas, abrindo um espaço para compartilhamento, acolhimento e fortalecimento mútuo. Juntos, iremos trabalhar para criar um ambiente cada vez mais diverso e inclusivo, em que todas as vozes são ouvidas e respeitadas, independentemente do gênero. A todas que já se dedicam a essa luta, não só agradecemos, como exaltamos os seus papéis na construção de um futuro melhor.

13 de fevereiro

Em 1º lugar, Austa Hospital se destaca na Copa Assistencial da Hospital Care.

O Austa Hospital e o IMC participaram da Copa Assistencial organizada pela Diretoria Assistencial da Hospital Care e têm o orgulho de anunciar o resultado desse campeonato, em que o Austa Hospital atingiu o primeiro lugar nas três categorias: Boas Práticas Assistenciais, Controle de Infecção e Protocolos Gerenciados. O IMC atingiu o segundo lugar na categoria Boas Práticas. Essas posições se destacam perante todas as unidades participantes da competição. A Copa Assistencial avaliou todos os hospitais do grupo Hospital Care, em quatro fases diferentes: 1ª Fase: “Avaliação Quantitativa do Painel Assistencial”, com análise da performance dos hospitais através dos 19 indicadores que compõem o painel assistencial, como por exemplo: índice de infecções, índices de quedas, dentre outros. 2ª Fase: “Perguntas”, em que as equipes de multiprofissionais provaram os seus conhecimentos e agilidade em vários temas da área hospitalar. 3ª Fase: “Projeto Inovação”, tendo sido desenvolvidos, dentro de cada hospital, projetos originais voltados aos cuidados assistenciais inovadores para nossos pacientes. 4ª Fase: “Ação com o paciente/família”, com análise das ações de estímulo para um cuidado centrado na pessoa. O cuidado centrado tem o objetivo de capacitar o paciente a se tornar um participante ativo nas decisões de cuidados que envolvem a sua própria saúde e, assim, estabelecer uma conexão entre os profissionais da saúde e o paciente/família. O Austa Hospital e o IMC parabenizam todos os profissionais envolvidos, bem como reconhecem a qualidade do trabalho das equipes multiprofissionais, que todos os dias se dedicam ao cuidado, à evolução e à obtenção de tratamentos executados com maestria. Afinal, a Copa Assistencial 2022, da Hospital Care, só provou que o envolvimento de uma equipe assistencial de ponta impacta a qualidade e a segurança dos pacientes dentro dos hospitais. Parabéns a toda a equipe Austa Hospital e IMC!

13 de fevereiro

Quando e por que procurar um Médico do Esporte e do Exercício?

Para o bem da sua saúde física e mental, os exercícios físicos precisam fazer parte da sua rotina. Pensando nisso, é importante que todas as pessoas procurem a orientação de um Médico Especialista do Esporte do Exercício, para que ele analise as condições do seu organismo antes, durante e depois da inserção de um esporte ou atividade no seu dia a dia. Leia as orientações do Dr. Adriano Froes, médico pós-graduado no assunto, sobre as dúvidas mais frequentes dos nossos pacientes. O que é a Medicina do Esporte e do Exercício? É uma especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina que tem, nos cuidados com a saúde do indivíduo que se exercita, seja de modo amador ou profissional, o seu foco de atenção primário. Eu, particularmente, penso na Medicina do Esporte e Exercício como uma especialidade médica intimamente relacionada à prevenção de doenças e promoção de saúde, levando em consideração os inúmeros benefícios que o ato de se exercitar pode trazer para a vida de quem dele usufrui. Por que procurar um profissional da Medicina do Esporte e do Exercício? Porque, para todo e qualquer indivíduo que optou por estabelecer um elo de ligação com o exercício físico, uma avaliação pré-participativa é muito bem-vinda. Tão bom quanto se exercitar é saber se podemos fazê-lo com segurança. Através da consulta médica, que envolve a entrevista da anamnese, o médico terá a oportunidade de buscar todas as informações pertinentes, bem como solicitar exames físicos fundamentais e subsidiar exames complementares. Ou seja, o Médico do Esporte tem a capacidade de recrutar as diversas especialidades médicas, trazendo-as para o contexto do exercício. Uma pessoa que não pratica exercício físico pode procurar por um profissional da Medicina do Esporte e do Exercício? Não só pode, como deve. O indivíduo que, ao longo do tempo, sustentou um comportamento sedentário, precisa, antes de mais nada, ser orientado a estabelecer essa mudança do seu estilo de vida com o maior respaldo e responsabilidade possíveis. Lembrando que o papel do médico é muito importante, mas outros profissionais que compõem uma equipe multidisciplinar têm um grau de importância equivalente neste contexto. Qual a diferença entre um Educador Físico (personal) e um especialista em Medicina do Esporte e do Exercício? Sempre que temos a oportunidade de contar com uma equipe multidisciplinar, nosso índice de assertividade aumenta muito. O Educador Físico, como o próprio nome diz, é alguém que cursou Educação Física, e o Médico do Esporte e Exercício é um médico que se especializou, através da residência médica ou pós-graduação, nesse segmento da medicina. Ambos não apenas coexistem, como também compõem a equipe multidisciplinar de um atleta, assim como os nutricionistas, os fisioterapeutas etc. Quais os benefícios que o acompanhamento com um Médico do Esporte e do Exercício pode trazer para uma pessoa? É importante refletir sobre o número considerável de publicações que expõem os problemas associados a um comportamento sedentário, como obesidade e morte súbita. Por isso, se faz cada dia mais necessário estar diante de uma especialidade médica que preconiza a adequação de um estilo de vida atrelado a bons hábitos, inserindo o exercício como principal ferramenta no arsenal terapêutico de uma infinidade de doenças. O cuidado com a saúde através da Medicina do Esporte agrega em mais algum ponto da saúde geral do paciente? Sim. O cuidado através da Medicina do Esporte dá respaldo para o indivíduo, oferecendo segurança ao minimizar possíveis eventos desfavoráveis, como problemas cardiovasculares. Além disso, há a avaliação de sistemas importantes, como o osteomuscular, buscando a identificação e correção de desequilíbrios. O paciente ainda observa a melhora na qualidade do sono e o seu papel na recuperação de bons hábitos alimentares e na sua saúde mental. A partir de qual idade posso fazer acompanhamento com esse profissional? Toda faixa etária pode ser acompanhada. No entanto, esse acompanhamento vai depender muito do grau de envolvimento de cada indivíduo com o exercício, principalmente nos pacientes mais jovens. Digo isso porque as crianças e adolescentes têm se “profissionalizado” cada vez mais cedo no mundo esportivo, e toda vez que esta carga de exercícios evolui e aumenta, é essencial estar seguro de que tudo está “muito bem, obrigado”.

01 de fevereiro

Conscientize-se sobre o câncer e o tratamento precoce

No dia 4 de fevereiro, ressaltamos a importância da conscientização sobre o câncer, sua gravidade e a importância de tratamento precoce. Juntos com a União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) e com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), a campanha envolve dados e indicações importantes para mobilizar a população. Os dados mais recentes apontam que uma em cada cinco pessoas desenvolve câncer, sendo que a perspectiva até 2030 é de crescimento de 42% dos casos. O câncer de mama é o mais comum em mulheres, e o de próstata nos homens. Além disso, o tabagismo é dado como o maior responsável pelas mortes por câncer. Que fazer diante disso tudo? Cuidados Primeiro, a adoção de uma rotina saudável para prevenir problemas de saúde. Isso inclui não fumar, evitar bebidas alcoólicas, praticar atividades físicas, ter uma boa alimentação, proteger-se dos raios solares e manter-se sempre hidratado. Em segundo lugar, a atenção aos sinais do próprio organismo. Dores musculares, diarreias, náuseas, perdas ou ganhos repentinos de peso, cansaço, alterações na pele e tonturas não são normais. Assim, mantenha seus exames em dia, observe os sinais do seu corpo e não hesite em procurar auxílio profissional diante de qualquer alteração. Além disso, é importante  que as pessoas que não têm câncer mantenham em dia seus exames clínicos gerais e de rastreamento para a doença; e que os pacientes oncológicos persistam em todas as etapas do tratamento, como diagnóstico, exames, cirurgias e procedimentos indicados pela equipe médica. Por fim, não se esqueça: quanto antes for diagnosticado, maiores as chances de tratamento. Não deixe a vida para depois; ela é única. Atitudes preventivas podem salvar sua vida, permitindo momentos incríveis e saudáveis ao lado de quem você ama. Fontes Inca centrodeoncologia.org.br

Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política